hormonais e os cuidados com a saúde bucal

Mulheres: Alterações hormonais e os cuidados com a saúde bucal

Gravidez, alterações hormonais, puberdade – as mulheres devem ter um cuidado especial. Escovação, uso do fio dental, uma dieta saudável e exercícios físicos são importantes para a saúde bucal por toda vida. Há momentos em que cuidados extras são necessários, como na puberdade, menopausa, menstruação e gravidez. Durante esses períodos, o organismo passa por mudanças hormonais que podem afetar todo o corpo, incluindo a gengiva. A gengiva torna-se sensível e diversas reações podem ocorrer devido à flutuação hormonal, tornando-a mais susceptível às doenças periodontais.

A atenção à saúde bucal entre mulheres, pode mudar de acordo com os diferentes estágios da vida.

A menstruação:
Pouco antes ou durante a menstruação, algumas mulheres podem um sangramento e ou inchaço da gengiva. Outras mulheres desenvolvem herpes e aftas. Os sintomas geralmente desaparecem uma vez que a menstruação começa.

Contraceptivos orais:
Os usos de contraceptivos orais provocam uma alteração hormonal que pode provocar inchaço e sangram com facilidade. O hormônio progesterona encontrado nos contraceptivos orais pode fazer com que a gengiva fique mais sensível a substâncias irritantes na boca, como a alimentação ou placa.

Gravidez:
Até 75 por cento de todas as mulheres grávidas têm gengivite. Durante a gravidez, as alterações hormonais tornam a boca mais suscetível à gengivite. A gengivite relacionada a gravidez geralmente aumenta no segundo trimestre. Durante este tempo, algumas mulheres podem notar inchaço, sangramento, vermelhidão ou sensibilidade na gengiva. Eles também podem ter a halitose (mau hálito) a partir do aumento dos hormônios da gravidez.

Parto prematuro:
Mulheres grávidas que têm doença periodontal podem aumentar em sete vezes a probabilidade de ter um parto prematuro, quando comparadas às mulheres sem a doença periodontal. Enquanto são necessárias mais pesquisas para determinar como a doença de gengiva influência nos resultados da gravidez, qualquer infecção bacteriana similar à periodontite em mulheres grávidas é motivo de preocupação. Muitos estudos indicam fortemente que as infecções bacterianas que causam periodontite moderada ou severa em mulheres grávidas aumentam o risco de parto prematuro e bebês de baixo peso. Quanto mais grave a infecção, maior o risco para o bebê. Essas pesquisas indicam que as bactérias presentes na boca e nas cáries podem desencadear os mesmos fatores que infecções do trato genital e urinário desencadeariam. Essas substâncias biológicas produzem inflamação no colo do útero, que pode causar dilatações e contrações. Pesquisas também sugerem que a doença periodontal aumenta o risco de pré-eclâmpsia, uma desordem com risco de vida que ocorre em meados da fase final da gravidez e é caracterizada pela pressão arterial elevada. É recomendado para pacientes mulheres que realizem um exame clínico periodontal antes do início de uma gravidez. Mulheres diabéticas têm o risco elevado de desenvolvimento da doença, tornando-se ainda mais importante o acompanhamento periodontal durante a gravidez.

Menopausa:
Esta transição normal, geralmente em torno de 50 anos de idade, marca o momento na vida de uma mulher quando ela deixa de menstruar. Ele também pode sinalizar o início de mudanças na saúde dos dentes e da gengiva, como dor ou desconforto, gengivas vermelhas ou inflamadas, sensações de ardor, sensação de alteração do paladar (salgados, metálico, picante, azedo), boca seca (xerostomia) e perda óssea. As mudanças associadas com a menopausa podem ser devido a alterações hormonais, deficiências de cálcio e de vitamina, entre outas condições médicas e o uso de medicamentos.

Osteoporose:
Esta condição é caracterizada por diminuição da densidade da massa óssea. Um número crescente de estudos tem sugerido uma relação entre a osteoporose e perda óssea na região dos maxilares. Esta perda óssea associada a doença de gengiva, acelera o processo de perda óssea, provocando mobilidade dos dentes e eventual perda deles.

 

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *