Quais são os tipos de enxerto de gengiva usados para a retração gengival?

Três diferentes tipos de enxerto de gengiva podem ser realizados para o recobrimento da retração gengival. As técnicas mais utilizadas de enxerto de gengiva são:

Enxerto de gengiva de tecido conjuntivo: essa é o técnica de enxerto de gengiva mais usada para tratar o aumento de volume gengival e a exposição da raiz. A região mais indicada como doadora do enxerto de gengiva é do céu da boca, o palato.  Durante o procedimento, a camada mais superficial da gengiva do palato é erguida, permitindo a remoção de uma camada subjacente a esta, chamada de tecido conjuntivo subepitelial. Uma vez removido o tecido conjuntivo, ele é posicionado e estabilizado através de pontos de sutura sobre a área exposta da raiz. Depois de realizado o enxerto de gengiva, a camada superficial de gengiva do palato é reposicionada e suturada, permitindo o fechamento total da ferida.  

enxerto de gengiva 1 enxerto de gengiva 2 enxerto de gengiva 3

Enxerto de gengiva livre: semelhante a um enxerto de gengiva de tecido conjuntivo, o enxerto gengival livre também tem como área doadora a região do palato. No entanto,  há a utilização da camada mais superficial de gengiva para o recobrimento radicular. Essa técnica de enxerto de gengiva é mais indicada nos casos de recobrimento da raiz, sem ganho de volume gengival. 

Enxerto de gengiva pediculado: esse procedimento de enxerto de gengiva é mais indicado para pequenos recobrimentos, pois o tecido que recobre a raiz é proveniente da gengiva do dente adjacente. Pequenas incisões são realizadas na porção mais superficial e epitelial da gengiva, próxima à área a ser recoberta, e, então, é realizado um movimento de rotação e deslocamento do tecido, recobrindo a exposição da raiz, completando assim o enxerto de gengiva.