Há muitas possíveis causas para a gengivite. Em geral, a causa mais comum para o desenvolvimento da gengivite é o descuido com os dentes e as gengivas.

A má escovação dos dentes e a falta do uso do fio dental regularmente provoca a formação de um biofilme responsável pela formação da placa bacteriana. Essa placa contém mais de 500 tipos diferentes de micro-organismos patógenos que, por sua vez, liberam uma grande variedade de produtos e subprodutos biologicamente ativos, incluindo lipopolissacarídeos (endotoxinas), peptídeos quimiotácticos, toxinas proteicas e ácidos orgânicos, entre outros. Essas moléculas difundem-se no epitélio gengival, iniciando uma resposta inflamatória e resultando na gengivite.

causa da gengivite 1 causa da gengivite 2 causa da gengivite 3

Medicamentos e alterações hormonais podem causar a gengivite?

Sim, medicamentos e alterações hormonias podem causara a gengivite. Outros fatores que podem contribuir para o desenvolvimento da gengivite são:

Diabetes – diabetes mellitus é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal de açúcar no sangue. Portadores de diabetes têm maior chance de desenvolver infecções, incluindo as doenças periodontais como a gengivite. Essas infecções podem diminuir a habilidade de processar e utilizar a insulina, dificultando ainda mais o controle da diabetes.

Tabagismo – é de conhecimento de todos que o tabaco está associado a diversas doenças pulmonares e cardíacas, câncer, e outros numerosos problemas de saúde. O que muitos pacientes fumantes não sabem é do alto risco de desenvolverem doenças gengivais. Estudos recentes têm mostrado que o fumo é um dos fatores de risco mais significativo para o desenvolvimento da gengivite.

Predisposição genética – pesquisas comprovam que até 30% da população está geneticamente susceptível a doenças periodontais. Mesmo com uma higiene oral adequada, aqueles que apresentam essa predisposição genética têm seis vezes mais chances de desenvolver a gengivite.  O acompanhamento preventivo com consultas periódicas ajuda o recolhimento de um diagnóstico precoce, mantendo a saúde bucal por mais tempo.

Puberdade, gravidez, alterações hormonais – os cuidados com a saúde feminina são únicos. Escovação, uso do fio dental, uma dieta saudável e exercícios físicos são importantes para a saúde bucal por toda a vida. Apesar disso, há momentos em que cuidados extras são necessários, como na puberdade, menopausa, menstruação e gravidez. Durante esses momentos, o organismo passa por mudanças hormonais que podem afetar todo o corpo, incluindo a gengiva. Ela pode ficar sensível e diversas reações podem ocorrer, devido à flutuação hormonal, tornando-a mais susceptível às doenças periodontais como a gengivite. Estudos recentes têm sugerido que gestantes com doença periodontal apresentam sete vezes mais chances de darem à luz a bebês prematuros e com baixo peso.

Stress – O stress está ligado a diversas condições graves, como a hipertensão, o câncer e numerosos outros problemas de saúde, além de ser um fator de risco para a doença periodontal. Estudos têm demonstrado como o stress dificulta a ação do organismo no combate às infecções, incluindo a gengivite.

Medicamentos – alguns medicamentos, como contraceptivos orais, antidepressivos e medicamentos para problemas cardíacos podem afetar a saúde bucal.

A idade, as doenças sistêmicas e a nutrição inadequada são outros fatores que contribuem para o desenvolvimento da gengivite. Dentes desalinhados, restaurações antigas com superfícies ásperas e próteses dentárias (ponte fixa ou removível, coroa dentária, ou coroas sobre implantes) mal ajustadas e com má adaptação, podem irritar as gengivas e aumentar o risco de desenvolvimento da gengivite. Portanto, corrigir esses problemas é essencial para impedir a progressão da doença.