Dor de dente é causada pela inflamação e irritação pulpar dentro do dente. Infecção dentária, inflamação gengival, retração gengival, cárie e trauma são as causas mais comuns da dor de dente. A dor de dente ocorre quando a camada de dentina torna-se exposta devido à retração gengival.  As raízes, diferentemente da coroa dos dentes, não são recobertas por uma camada de esmalte e contêm milhares de pequenos túbulos que levam ao centro do dente, onde está localizada a polpa dentária, que é o nervo do dente. Esses túbulos dentinários transmitem os estímulos – por exemplo, a comida quente, fria ou doce, ou até mesmo um leve suspiro – sensibilizando o nervo do dente e resultando em sua sensibilidade. A dor de dente também pode ocorrer após uma extração de um ou mais dentes. No entanto, a dor de dente também pode fazer o caminho inverso, ao começar em outras áreas e irradiar para a mandíbula, parecendo ser uma dor de dente. As áreas mais comuns incluem a articulação da mandíbula (articulação temporomandibular ou ATM), dor de ouvido, e até problemas cardíacos.

O que causa a dor de dente?

Além de uma carie profunda, a inflamação pulpar (pulpite) também pode ser ocasionada por um trauma ao dente. Bater os dentes ou até mesmo uma leve pancada pode cortar o suprimento de nutrientes provenientes do osso e fazer com que o tecido pulpar necrose lentamente. Uma terceira maneira de irritação pulpar e consequentemente dor dente, ocorre através da doença periodontal crônica (doença de gengiva). Bactérias com subprodutos patógenos podem penetrar na camada de dentina e causar um resposta inflamatória do tecido pulpar. Com dente contaminado, a polpa eventualmente é necrosada e, quando não tratada, pode causar um abscesso periodontal. Em alguns casos, o dente pode não apresentar nenhum sintoma, porém a necrose da polpa já ocorreu, causando dor e desconforto. Em todas essas situações de dor de dente, uma radiografia da região da raiz é obrigatória, pois ela é um dos métodos de diagnóstico mais confiável e fornece valiosas informações.

Causas da dor de dente:

  • Cárie profunda;
  • Abscesso dentário;
  • Abscesso gengival;
  • Exposição radicular;
  • Fratura do dente;
  • Infiltração de uma restauração antiga;
  • Bruxismo.

Sinais e sintomas da dor de dente:

  • Dor aguda e pulsátil;
  • Dor irradiada e difusa;
  • Dor ao mastigar;
  • Dor com alimentos quentes e mornos;
  • Dor com alimentos açucarados e cítricos;
  • Sensibilidade e desconforto com alimentos frios;
  • Sensibilidade ao toque;
  • Febre e dor de cabeça;
  • Inchaço da gengiva ao redor do dente;
  • Sensação de dente grande;
  • Sensação de pressão no interior do dente;
  • Dificuldade para abrir e fechar a boca.

Tratamentos disponíveis para a dor de dente

O tratamento para a dor de dente depende da causa da dor. Se a dor for originária de uma cárie ou uma infiltração de uma restauração antiga, a cárie e a restauração devem ser removidas e uma nova restauração feita. Agora, se a cárie for muito profunda, talvez seja necessário realizar um tratamento de canal para a remoção da polpa do dente. A dor também pode ter origem na gengiva. É muito um corpo estranho (pedaço de pipoca, pele de amendoim, gergelim) ficar retido abaixo da linha da gengiva. Nesses casos, a remoção logo traz alívio. Dentro das inflamações gengivais, a pericoronarite é uma que ocorre próxima ao dente do siso, causando dor e abscesso com presença de pus. Nesse caso, é necessário uma profilaxia do local com a drenagem do abscesso e o uso de medicamentos para controlar a dor e a inflamação. Um abscesso periodontal ocorre quando há um grande acúmulo de placa bacteriana dentro de uma bolsa gengival. Nesse caso, a raspagem periodontal e o desbridamento local são o tratamento de escolha.

Entendendo a cárie dentária

A cárie tem como subproduto substâncias ácidas que são fortes o suficiente para desmineralizar o esmalte e a dentina. Se não tratada, essa desmineralização atinge a câmara pulpar, causando inflamação dos tecidos da polpa. Uma vez inflamada, e em resposta à agressão, a polpa promove um intenso metabolismo celular que por sua vez gera estímulos de dor. Quando a infecção se espalha por toda a câmara pulpar e canal radicular, a dor torna-se mais intensa, caracterizando uma pulpite (inflamação da polpa). A sensibilidade frente a temperaturas como fria e quente indica uma cárie próxima da polpa, uma restauração muito próxima da polpa ou uma restauração com infiltração, gerando assim um processo de cárie.

Prevenindo a dor de dente

Na grande maioria dos casos de dor de dente, a sua origem é devido à cárie . Uma higiene bucal adequada, o uso da escova dentária com um creme dental que contenha flúor associado ao uso do fio dental uma vez por dia e uma dieta com alimentos de baixo teor de açúcar são muito importantes para a diminuição da placa bacteriana e da incidência de cárie. Além dessas práticas diárias,  consultas regulares ao dentista para a uma avaliação clínica e radiográfica, e limpezas periódicas são essências para evitar uma futura dor de dente.