selante

Confira nossa entrevista na Revista Pais&Filhos

A cárie dentaria é provavelmente uma das doenças crônicas mais comuns no mundo. Suas lesões ocorrem devido a um agregado bacteriano que é responsável pela alteração do ph bucal, provocando a desmineralização da estrutura do dente. Esse agregado bacteriano utiliza carboidratos para a produção de energia e produz subprodutos ácidos orgânicos. Esses ácidos orgânicos causam a dissolução da estrutura cristalina do esmalte, causando a cárie. Cerca de 500 espécies de bactérias, fungos e até mesmo protozoários estão presentes na cavidade oral. Porém um grupo relativamente pequeno de bactérias (Streptococcus mutans) tem sido associado a cárie dentária.

A cárie afeta toda a superfície do dente?

Embora a superfície oclusal dos dentes (porção da coroa utilizada para a mastigação) represente apenas 12,5% de todas as superfícies dentarias, é essa parte a mais afetada pela cárie dentária.  Essa superfície oclusal é formada por sulcos e fissuras, características anatômicas conferidas ao dente, que permitem a correta mastigação e escoamento do alimento. Essa forma anatômica, no entanto, também é responsável pela retenção do agregado bacteriano e subprodutos do metabolismo.

O risco de cárie e as diferentes faixas etárias

A alta atividade de cárie é muito comum durante a infância e a adolescência. A dieta alimentar nessas fases é comumente constituída por sacarose e outros alimentos e bebidas açucarados, e de difícil digestão pelas enzimas presentes na cavidade bucal. Além disso, a higiene bucal muitas vezes é comprometida por uma escovação deficiente ou até ausente. Esses fatores que levam a uma atividade elevada de cárie também podem estar presentes em adultos que apresentam uma dieta rica em doces e fazem má higiene bucal.

Mecanismo de ação do selante

O selante apresenta três importantes características preventivas. Primeiro, ele veda de forma mecânica os sulcos e fissuras, e quaisquer outros buracos com um material resinoso altamente resistente a ácidos. Segundo, ele impede a colonização do Streptococcus mutans e outras colônias de bactérias, impedindo ou diminuindo a presenças de organismos cariogênicos. Por último, a aplicação do mesmo sobre a superfície oclusal facilita a escovação e higienização dos dentes posteriores. Em uma revisão de 15 estudos clínicos, alguns autores demonstraram uma redução de 80% na prevalência de cáries num período de um ano e 70% em dois anos. O uso de selante tem demonstrado grande eficácia na diminuição de cáries, tanto em crianças como em adultos.

O que é selante?

É composto por um material resinoso que é aplicado sobre os dentes, protegendo-os das cáries. Ele veda a fissura e fóssula do dente, formando uma barreira física, especialmente nos dentes posteriores, nas superfícies que atuam na mastigação dos alimentos, onde a maioria das cáries se inicia.

O que são sulcos e fissuras?

Sulcos, fissuras, ou fóssulas são ranhuras, depressões e pequenas aberturas encontradas na nas coroas dos dentes. Elas auxiliam na mastigação e escoamento dos alimentos, porém devido a sua forma anatômica, são nichos para a retenção e proliferação de bactérias formadoras de cárie.

Como funcionam os selantes?

Mesmo numa higienização cuidadosa, é muito difícil limpar inteiramente as pequenas fissuras e fóssulas de todos os dentes. Restos alimentares e bactérias se acumulam nessas depressões, desenvolvendo um alto risco para a formação da cárie. Os selantes selam essas ranhuras, reduzindo o risco de cárie.

Como é feita a aplicação?

A aplicação é feita em uma única sessão, rápida e confortável. Após uma limpeza prévia, a plicação é feita de tal forma que escoe para dentro das depressões. Não há nenhum cuidado especial após a aplicação, possibilitando comer e beber logo em seguida.

Em quais dentes deve ser feita a aplicação?

A saliva mantém limpa as superfícies lisas dos dentes, mas não limpa as ranhuras e fissuras. Os dentes com maior risco de cariarem e, portanto, que mais necessitam de proteção são os dentes posteriores (molares e pré-molares), principalmente os primeiros molares que erupcionam as seis anos de idade e os segundos molares que erupcionam aos 12. Os molares decíduos também se beneficiam. No entanto, qualquer dente que tenha fissuras e ranhuras deve ter um cuidado especial.

Mesmo com o selante, a escovação e o fio dental ainda são importantes?

Sim! Ele é apenas um item dentro do plano de prevenção para manter os dentes livres das cáries. Escovação, fio dental, uma dieta balanceada e visitas regulares ao dentista ainda são essenciais para um sorriso bonito e saudável.

A partir de qual idade pode ser feita a aplicação?

A aplicação do selante deve ser feita após a erupção do primeiro molar permanente, que ocorre a partir do dos seis anos de idade.

Quais são os cuidados após a aplicação?

O paciente pode comer e beber logo após a aplicação. Os cuidados que devem ser levados em conta são em relação à dieta alimentar, diminuindo a ingestão de alimentos ricos em sacarose (açúcar).

Qual o intervalo de tempo entre uma aplicação e outra?

A durabilidade do selante pode variar muito de um paciente para outro. Devido ao fato dos selantes serem compostos por um material resinoso, com o tempo ocorre o desgaste da sua superfície, expondo novamente os sulcos e fissuras dos dentes. Os selantes podem durar até um ano ou mais. Isso dependerá do tipo de alimentação e da ingestão frequente de doces, balas e alimentos açucarados e pegajosos. Aconselhamos um acompanhamento semestral ou anual, dependendo do índice cariogênico de cada paciente, para verificar se o mesmo continua intacto e as fissuras bem vedadas.

Selantes podem ser aplicados em adultos?

Sim. Adultos com alto risco cariogênico (alta propensão para o desenvolvimento de cáries) podem utilizar o selante como uma forma de prevenir as cáries. Dentes onde o formato da coroa favorece a formação de cáries (sulcos e fissuras muito profundas) também podem se beneficiar do uso de selantes.