O flúor está na lista dos elementos que trazem efeitos fisiológicos benéficos. A fluoretação, isto é, a introdução do flúor na água previne a perda de minerais do esmalte dos dentes, deixando-os mais resistentes ao metabolismo de bactérias causadoras da cárie. Estudos realizados pela Organização Mundial de Saúde mostram que, para cada dólar investido em fluoretação, são economizados US$ 50 que, de alguma forma, seriam destinados ao pagamento de tratamentos odontológicos.

No Brasil, a prática de fluoretação das águas de abastecimento público começou em 1953. Porém, foram nos anos 70 que a fluoretação alcançou um grande progresso, com participação nos programas nacionais e estaduais, reduzindo em até 65% a incidência de cáries na população.

Para pacientes com um alto risco cariogênico (alta propensão para o desenvolvimento da cárie), o uso do flúor apenas na água pode não ser suficiente para diminuir a doença. As aplicações tópicas de flúor realizadas no consultório apresentam uma concentração mais alta do flúor do que a presente na água, em cremes dentais e bochechos. A aplicação periódica do flúor, seja em crianças ou em adultos, ajuda a diminuir o risco de dentes cariados.

Fluor e a remineralizacao do dente

A presença de íons de fluoreto aumentam a formação e precipitação de fluorapatita, cálcio e fosfato presentes na saliva, sobre a estrutura do dente. Esse precipitado insolúvel substitui os sais solúveis que foram perdidos devido à desmineralização causada pelo ataque microbiano. Esse processo de precipitação resulta num esmalte mais resistente aos substratos ácidos provenientes das bactérias da cárie. O flúor não age somente no esmalte. Em baixas concentrações, o flúor apresenta uma atividade antimicrobiana, inibindo a adesão bacteriana e impedindo o armazenamento de carboidratos, o que limita o metabolismo microbiano entre as refeições do hospedeiro.

Como o flúor previne a cárie?

O flúor atua na diminuição do metabolismo bacteriano, inibe a perda de minerais do esmalte dos dentes e estimula a remineralização de áreas já afetadas e enfraquecidas pela ação da cárie.

O que é a aplicação tópica de flúor?

A aplicação tópica de flúor (ATF) é um procedimento preventivo que tem como objetivo fortalecer os dentes que apresentam médio e alto risco de cárie. A aplicação pode ser feita na forma de gel ou espuma, através de moldeiras ajustáveis, deixando o flúor em íntimo contato com a superfície dental num período de 2 a 4 minutos. O flúor também pode ser aplicado sob os dentes na forma de verniz. Essa forma de aplicação é mais recomendada para pacientes muito jovens que não toleram o uso de moldeiras.

Quais são os fatores a serem considerados na necessidade da aplicação do flúor?

A aplicação tópica de flúor deve ser realizada considerando diversos fatores:

- A idade do paciente: O flúor não apresenta nenhuma restrição quanto à idade do paciente, podendo ser aplicado em todas as idades. A aplicação em crianças e adolescentes costuma ser mais frequente devido à alta ingestão de alimentos e bebidas açucarados e uma higiene bucal deficiente. Porém, essa prática tem se mostrada muito comum em adultos também.

- Dieta alimentar: Paciente com dietas ricas em sacarose, açúcares e alimentos industrializados aumentam o risco de desenvolvimento da cárie dentária.

- Higiene bucal: Paciente com ausência ou deficiência de cuidados com a higiene bucal, como uma correta escovação, uso do fio dental e profilaxia dentária rotineira, tem maiores riscos para o desenvolvimento da cárie.

Flúor é seguro?

O flúor usado para a prevenção e controle da cárie tem se mostrado eficaz e seguro durante muitas décadas. No entanto, produtos que contenham flúor em excesso devem ser mantidos fora do alcance de crianças. O excesso de flúor pode causar a fluorose.

O que é fluorose?

A fluorose ocorre devido à exposição excessiva de flúor, comprometendo o desenvolvimento de dentes permanentes e causando manchas esbranquiçadas e listras horizontais. Em casos mais graves, dentes acometidos pela fluorose podem apresentar deficiência na formação de esmalte e dentina, ficando mais fracos. Manchas marrons também podem estar presentes. O desenvolvimento e o grau da fluorose são multifatoriais, dependendo da quantidade de flúor ingerido, por quanto tempo foi ingerido e durante qual período de desenvolvimento dos dentes.

Quais são os efeitos dos enxaguantes com flúor?

A quantidade necessária de flúor já esta presente no creme dental, sendo assim, o enxaguante atua apenas como um complemento. De forma alguma se deve substituir o creme dental por qualquer tipo de bochecho. Eles não são indicados para pacientes infantis, pois são facilmente engolidos e podem causar sérios danos aos dentes e à flora intestinal. Alguns enxaguantes com uma concentração mais alta de flúor pode ser indicado para o tratamento da sensibilidade dentária. Também podem ser indicados para paciente que estão realizando tratamento ortodôntico.

A aplicação do flúor deve ser feita de forma periódica?

Sim. O que determinará a periodicidade das aplicações de flúor será o risco cariogênico apresentado pelo paciente.

O que determina o risco cariogênico de cada paciente?

Estes são alguns dos fatores que determinam o risco de desenvolvimento de cáries:

- Higiene bucal deficiente;

- Grande quantidade de restaurações já presentes;

- A presença de cáries;

- Dieta alimentar;

- Desordens alimentares;

- Uso consistente e excessivo de álcool e substâncias químicas;

- Alguns medicamentos;

- Radioterapia;

- Diminuição da secreção salivar;

- Defeitos de esmalte;

- Falta de controle de limpezas periódicas.

Pacientes adultos também podem se beneficiar?

Sim. Não há contra indicação alguma em relação à idade do paciente e a aplicação de flúor. Pacientes que apresentam um alto risco cariogênico, higienização deficiente e uma dieta mal balanceada podem se beneficiar grandemente da aplicação de flúor, diminuindo os riscos de cárie.  Também é muito comum a exposição de raízes em pacientes adultos com perda óssea e retração gengival. Devido ao fato das raízes não serem cobertas por uma camada de esmalte, como na coroa, o tecido de dentina é mais susceptível as lesões de carie. Nesses casos, a aplicação tópica de flúor também pode ajudar.

Suplementos de flúor são necessários?

Não. O suplemento de flúor, seja em comprimidos ou em gotas, deve ser prescrito apenas para casos onde não há fluoretação no sistema de abastecimento de águas. Sendo assim, não há indicação nem necessidade para o uso nas grandes cidades do Brasil. Certifique-se de que a sua cidade tem fluoretação no sistema de abastecimento de águas.

Suplementos de flúor durante a gravidez e amamentação trazem algum benefício para o bebê?

Não existe nenhuma base científica que comprove a necessidade de aumentar a ingestão de flúor durante a gravidez ou durante a amamentação, a fim de trazer benefícios para a saúde bucal do bebe. Até o momento, as evidências científicas são insuficientes para comprovar que suplementos de flúor durante esse período podem diminuir a incidência de cáries futuras.

O creme dental infantil deve conter flúor?

Devido à falta de coordenação motora adequada, o creme dental indicado para pacientes infantis deve conter ppm – uma menor quantidade de flúor quando comparada à quantidade presente nos cremes dentais convencionais – ou não conter flúor algum. Isso se dá pelo fato de que as crianças têm maior facilidade em engolir o creme dental. A ingestão contínua pode ocasionar a fluorose e dores estomacais. A escovação deve ser feita sempre supervisionada pelos pais, até que a criança desenvolva a coordenação motora ideal para não engolir o creme dental.