Vários fatores devem ser cuidadosamente analisados ​​antes do início do clareamento dentário e devem ser controlados durante todo o processo de clareamento para garantir o máximo de resultado.

Os principais fatores a serem considerados no clareamento são:

Expectativas do paciente: as expectativas do paciente quanto aos resultados do clareamento devem ser reais. Dependendo do grau de coloração e manchamento dos dentes, nem sempre o resultado do clareamento dentário será dentes extremamente brancos e claros. O paciente deve encarar o clareamento dentário como uma maneira de melhorar a coloração inicial do seu sorriso.

Limpeza: previamente à aplicação do gel, uma limpeza minuciosa é realizada para remover a placa bacteriana e qualquer outro tipo de resíduo presente. Dessa forma, torna-se possível a visualização e a diferenciação das manchas intrínsecas das extrínsecas. Além disso, uma boa limpeza permite um maior contato do gel com a superfície dos dentes, aumentando assim o potencial de clareamento.

Concentração dos géis de clareamento dentário: os géis de clareamento dentário são basicamente compostos pelo peróxido de carbamida ou peróxido de hidrogênio. O peróxido de carbamida pode apresentar-se numa concentração de 10%, 16% e 22%, enquanto o peróxido de hidrogênio apresenta-se nas concentrações de 6% a 35%. Quanto maior a concentração do peróxido, mais rápido é o efeito do clareamento dentário. Na técnica de clareamento dentário mediato, através de moldeiras individualizadas, as concentrações mais utilizadas são as de peróxido de carbamida de 16% a 30% e o peróxido de hidrogênio em uma concentração de até 7%. Concentrações maiores do que estas podem ser prejudiciais tanto para os dentes como para a gengiva, podendo levar a desmineralização do esmalte e necrose gengival. Na técnica de clareamento dentário imediato, a concentração mais preconizada é a do peróxido de hidrogênio a 35%, tal concentração do hidrogênio só pode ser aplicada em consultório.

Tempo: A ideia do tempo de contato entre a superfície do dente e o gel de clareamento dentário serem proporcional ao grau de clareamento, não é inteiramente verdadeira. O tempo de aplicação, tanto na técnica da moldeira individualizada como na técnica em consultório, deve ser seguido rigorosamente de acordo com a concentração do gel de clareamento dentário prescrita. As concentrações de carbamida geralmente exigem maior tempo de aplicação (ex.: sete a oito horas), diferentemente das concentrações de hidrogênio (ex.: uma a seis horas). Em ambas as concentrações, o tempo de aplicação maior do que prescrito talvez não leve ao efeito desejado, podendo ser até nocivo, causando sensibilidade a temperaturas e danos à estrutura do dente.

Mudança de hábitos: ao iniciar o clareamento dentário, é importante salientar que alguns hábitos que levaram ao manchamento dos dentes devem ser corrigidos ou, de alguma forma, contornados. Bebidas com alto teor de pigmentação, como chás, cafés, refrigerantes à base de cola, vinho tinto e alimentos com corantes fortes devem ser suspensos ou evitados durante todo o tratamento. Pacientes fumantes também deve limitar-se a um número menor de cigarros, cachimbos e/ou charutos por dia. Essa mudança de hábito é fundamental para que haja uma real mudança na coloração dos dentes durante a após o tratamento de clareamento dentário.

Cooperação: Os melhores resultados são alcançados com pacientes que realmente cooperam com o plano de clareamento dentário, isso é, usam com regularidade as moldeiras preenchidas com gel e não esperam que o resultado venha apenas das aplicações feitas em consultório.