Abaixo estão alguns mitos ou dúvidas para esclarecer as perguntas mais comuns sobre o aparelho fixo.

Aparelho fixo deve doer para funcionar.

O aparelho fixo não precisa doer para funcionar. Isso poderia estar correto há 20 anos ou mais, quando eram utilizados fios pesados e pouco resilientes no aparelho dentário, isso é, com pouca deflexão. Atualmente, o avanço no conhecimento e o desenvolvimento de novos materiais no aparelho dentário têm permitido que os movimentos ortodônticos sejam leves, promovendo menor desconforto ao paciente, além de melhores resultados. Lembre-se, o aparelho dentário não precisa machucar para funcionar.

Quanto mais apertado o aparelho fixo melhor.

Seria comum pensar quanto mais justo ou apertado o aparelho fixo e seus componentes (elásticos, fios, etc.), maior e mais rápido será o movimento. Certo grau de força é necessário para movimentar os dentes, porém forças maiores do que necessárias no aparelho dentário podem levar a danos ao próprio dente e tecidos que o envolvem e dão suporte a ele (gengiva, osso, ligamento periodontal). Na ortodontia, é muito importante o conhecimento e uso de forças leves e balanceadas no uso do aparelho fixo. Forcas elevadas podem provocar efeitos colaterais como danos aos tecidos, ou movimentos contrários ao desejado, prolongando o tempo de tratamento.

O fio ortodôntico deve ser trocado a cada consulta.

Embora o fio deva ser avaliado para verificar se está alinhado e sem deformações, ele não necessariamente deve ser trocado a cada consulta. O desenvolvimento de novas ligas metálicas tem permitido que novos fios super elásticos e com altas características de memória (propriedade conferida ao fio que permite que ele volte a sua forma original, mesmo sob uma forte deformação ou stress) permaneçam por mais tempo na boca, sem trocas, movimentando os dentes de forma contínua a saudável.

Ao fim do tratamento ortodôntico, quando remover o aparelho fixo, meus dentes vão ficar para sempre nessa posição.

Criar um sorriso estético e funcional é apenas uma parte do tratamento ortodôntico. Mantê-lo estável e duradouro nessa posição é a outra. Os dentes são inseridos no osso da mandíbula e da maxila através de ligamentos compostos, em parte, por fibras gengivais. À medida que os dentes são movimentados para novas posições, algumas dessas fibras são esticadas e outras comprimidas. No final do tratamento ortodôntico, ao remover o aparelho dentário, essas fibras tendem a puxar ou empurrar os dentes para a posição que estavam previamente ao tratamento. O aparelho de contenção é indicado para todos os casos que finalizaram o tratamento ortodôntico.

Os dentes do siso provocam o apinhamento dentário.

Há pouca evidência científica que comprove que os terceiros molares (dentes do ciso) são realmente responsáveis por dentes mal alinhados. Se a afirmação fosse correta, não haveria apinhamento, isso é dentes mal posicionados, em pacientes que fizeram a extração destes dentes ou mesmo em pacientes que nem sequer tiveram os dentes do siso. Mesmo nesses casos, ainda há presença de apinhamento. No ponto de vista ortodôntico, a extração dos terceiros molares é recomendada para facilitar as movimentações ortodônticas, a fim de ter maior liberdade para a acomodação dos demais dentes.

O tratamento ortodôntico tem data definida para terminar

O tempo médio de tratamento ortodôntico é de 18 a 36 meses. O tão esperado e aguardado dia para remover o aparelho dentário não deve ser agendado de forma definitiva. É muito difícil precisar uma data exata, pois o tratamento, como um todo, depende de vários fatores. Alguns fatores que atrasam o tratamento são: a quebra frequente de braquetes, má higiene bucal e o desmarque ou cancelamento das consultas – motivos inerentes à cooperação do paciente. A complexidade do caso também prolonga o tempo de tratamento. Por isso, é muito importante a cooperação do paciente durante todas as etapas do tratamento. A maioria dos nossos pacientes se enquadra num tempo de 20 a 30 meses de tratamento.

O aparelho fixo provoca cáries.

O aparelho dentário não provoca cáries. A formação de cáries ocorre devido à associação de uma maior retenção de placa e resíduos alimentares com uma higienização bucal deficiente. Durante todo o tratamento ortodôntico, é muito importante que o paciente mantenha uma higienização adequada, isso é, escovação, fio dental e bochechos regularmente. Enfatizamos uma atenção em dobro à higiene bucal, não só pelo fato de ocorrerem cáries, mas também pelo aumento do biofilme (placa e cálculo). O biofilme é o fator desencadeante da gengivite e da doença periodontal, que causa sangramento e perda de suporte do dente no arco dentário. Aconselhamos todos os nossos pacientes a realizar uma profilaxia (limpeza) a cada seis meses, durante todo o tratamento.

Tempo de tratamento do aparelho dentário